O Retorno de Inanna: VI – O Passado Inexistente

inanna-kundalini-dragao

O Retorno de Inanna: “Eu, Inanna, retorno para contar como faz cerca de 500 mil anos, a minha família de Nibiru tomou posse da Terra e alterou o genoma humano com o fim de produzir uma raça de trabalhadores criada para extrair ouro destinado à esgotada atmosfera de Nibiru, nosso planeta e lar original.

Como somos tecnologicamente muito superiores, esta raça de trabalhadores — a espécie humana — nos adorava como a deuses. Aproveitamo-nos deles (de voces) para liberar guerras em meio de nossas disputas familiares intermináveis até que, de um modo estúpido, desatamos sobre a Terra a terrível arma Gandiva (artefatos nucleares), que enviou uma onda de radiação destrutiva por toda a galáxia”

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Parte II – Capítulo VI do livro “O Retorno de Inanna (Nibiru). Os deuses ancestrais e a evolução do planeta Terra“, de V.S. Ferguson

“Isto chamou a atenção dos membros da Federação Intergaláctica. E então, por causa de nossas próprias ações irresponsáveis em seu planeta, vimo-nos restringidos pela BARREIRA DE FREQUÊNCIA, imposta pela FEDERAÇÃO, uma prisão de freqüência que congelou a nossa evolução”.

vimana-egitoRetornem comigo à antiga Suméria, a Babilônia, ao vale do rio Indus e ao Egito. Dentro de meus Templos do Amor, dou a conhecer segredos antigos da união sexual cósmica nibiruana e de meus matrimônios sagrados. Através de meus olhos contemplem a Torre de Babel, o Grande Dilúvio, os Túneis das Serpentes e os cristais em espiral na pirâmide de Gizé.

Viajem comigo pelo tempo até a Atlântida, a Cachemira e o Pacífico Noroeste dos Estados Unidos à medida que encarno em meu Eu multidimensional para pôr a funcionar os códigos genéticos que estão latentes dentro de sua espécie e para libertar a Terra do controle por freqüências que exerce meu primo, o tirano deus Marduk (Baal, LÚCIFER)“.


Capítulos anteriores: 


SEGUNDA PARTE: Capítulo VI – O PASSADO INEXISTENTE

Inanna e Melinar retornaram ao ovóide. Este era um lugar central de concentração para eles e lhes ajudava a manter um pouco de ordem dentro de todo o malabarismo das mudanças de tempo dimensionais. Viajar através do tempo pode ser desconcertante inclusive para o mais avançado viajante. De vez em quando Inanna se sentia tentada a imaginar que o passado era o passado ou que os Eu multidimensionais eram consecutivos. Nesses momentos, Melinar lhe recordou que se centrasse firmemente, disse-lhe que não esquecesse que na mente do Primeiro Criador o tempo não existe e que todas as suas encarnações eram simultâneas.

Melinar observou que Olnwynn não estava. Inanna começou a examinar suas realidades e se deu conta de que o alto guerreiro celta ainda estava no bosque de cedros. Este lugar lhe recordava seu lar no norte da Irlanda e por isso estava triste e nostálgico. Pensou em seu filho. Havia tantas coisas que sentia saudades, tantas coisas que deixou por fazer. Por que havia se tornado tão cruel com aqueles que amava?

Inanna emitiu em sua consciência uma espécie de energia magnética e brandamente o levou para o ovóide. Ante esta nova situação Olnwynn reagiu com um estalo de ira. Ele tinha conhecido o temor, mas sempre o tinha expresso em forma de raiva. Perguntou onde estava e quem eram eles.

Inanna se voltou para Melinar e ambos ficaram de acordo para mostrar-se ante Olnwynn como seres radiantes de Luz, uma forma que parecia agradar aos humanos. Conservaram a forma de humanos mas seus corpos eram feitos de fótons que caíam em forma de estrelas fugazes e exibiam um amplo acervo de cores douradas e de luzes mutantes.

Federação-Galáctica-portal

Era algo digno de se presenciar. Olnwynn olhou com atenção as formas iluminadas e se sentiu tranqüilo. Não obstante, Inanna estava um pouco cansada e continuamente perdia esta forma. Trocou a forma do ser de fóton pela do sacerdote druida e logo passou ao seu voluptuoso corpo azul nibiruano. Isto naturalmente agitou a Olnwynn quem já tinha suficientes problemas para ajustar-se a sua nova realidade.

“Suficiente!” Disse Olnwynn zangado. “Insisto em que me digam a verdade. Quem são vocês e o que faço aqui?”

Melinar lhe respondeu: “Você é o que nós somos. Especificamente você é ela”. Melinar apontou Inanna que tinha deixado de trocar de formas no momento e que ficou no corpo azul, seu favorito. Olnwynn permaneceu cético. A idéia de que ela era uma mulher azul lhe era totalmente estranha, embora ela fosse encantadora e lhe parecesse muito familiar. Em sua vida tinha tido muitas visões, mas ultimamente tinha sido muito difícil as esclarecer pois estava em um estado permanente de embriaguez. Ele adorava bebida.

Melinar seguiu sua explicação: “Nós somos o que você é. Esta é a senhora Inanna, que te criou, podemos dizê-lo assim. Uma parte dela se projetou para o contínuo espaço/tempo da Terra para que formasse a ti, Olnwynn. Você te viu como uma entidade separada porque assim lhe ensinaram, mas essa separação é uma ilusão. Sua consciência e todos os dados de sua vida serão reabsorvidos pelo tudo, assim como todos os dados são eventualmente absorvidos para a mente do Primeiro Criador. Em realidade todos nós saímos da mente Dele.

Olnwynn não gostou nada dessa tolice de “reabsorver”. O fez pensar em coisas como aniquilação ou esquecimento total.

Melinar leu seus pensamentos e lhe explicou: “Não, meu filho, não será aniquilado. Você e sua consciência permanecerão intactas. Simplesmente chegarão a ser parte de um corpo de dados maior e ao mesmo tempo será o Olnwynn que é familiar para ti. A senhora Inanna te criou com um fim que é ajudar na libertação da espécie humana”.

A única maneira de liberação que recordava Olnwynn era a de cortar cabeças. Além disso não gostava da idéia de ter sido criado por uma mulher para um propósito do qual ele não sabia nada. Na Terra ele tinha sido um rei e não estava acostumado a que o controlassem. Começou a queixar-se. Era ele não mais que um peão no jogo de alguém? Tinha sido ele o brinquedo de alguém que nem sequer sabia que existia, sem importar quão atrativa fosse agora?

PORTAL Dimensional

Melinar lhe sugeriu que se sentasse enquanto lhe explicava: “Faz cerca de 500 mil anos, um grupo de viajantes do espaço de um sistema chamado Nibiru estabeleceu uma colônia de mineração de ouro no planeta Terra. Era um grupo familiar de um chefe supremo chamado Anu. Eles viviam em um planeta artificial que dá a volta a este seu sistema solar cada 3.600 anos. A família de Anu veio à Terra procurar ouro para sua atmosfera, a qual estava quase esgotada por causa de suas freqüentes guerras radioativas. A família era um grupo muito conflitivo que tinha a tendência a ir para à guerra pela menor provocação.

“Uma vez estabelecida a colônia mineira, era óbvio que se necessitavam mais trabalhadores para as operações mineiras, de modo que os cientistas da família, uma irmã e um irmão chamados Ninhursag e Enki (Ea) tomaram uma espécie humanoide que habitava na Terra nesse tempo e manipularam seu material genético. Produziram uma raça de trabalhadores que depois passaram com o tempo a serem os principais habitantes deste planeta”.

Olnwynn estava pasmado. Quando era um moço tinha ouvido essas histórias dos ensinos secretos dos druidas, mas as tinha esquecido quando cresceu e começou a degolar a seus semelhantes na busca de poder. Havia muitos mitos quanto a que os druidas procediam de um reino mágico chamado Atlântida. Segundo os druidas, tinha havido uma grande guerra, Atlântida tinha desaparecido sob o mar e seus habitantes tinham emigrado para as ilhas celtas nas quais tinha crescido Olnwynn.

“Então isso quer dizer que eu não fui mais que um membro de uma raça de escravos?” A idéia era repulsiva a Olnwynn. Por outro lado, pensava que poderia ser algo muito interessante conquistar todo um planeta…. todas essas cabeças.

Melinar se esforçou para levar a consciência de Olnwynn para um estado mais elevado: “Não, meu filho, você foi criado pela senhora Inanna para resgatar a raça de trabalhadores. Um membro da família de Anu, um varão de nome Marduk, controla a Terra neste momento. Esta entidade e suas legiões se recusam a deixar livres aos humanos. Desejamos que a raça humana retorne às suas habilidades originais, que reconecte seus códigos genéticos. Desejamos lhes deixar o caminho livre para sua evolução como espécie e lhes permitir sua própria evolução natural como era a intenção do Primeiro Criador”.

Olnwynn não estava muito seguro do que eram os códigos genéticos, mas estava começando a compreender. Inanna lhe estava dando toda a informação que requeresse sem chegar a confundi-lo. Como ele tinha lutado muitas vezes e de diferentes formas contra os tiranos de seu lar, começou a compreender como era Marduk. Quando era jovem ele tinha jurado lutar contra a tirania onde quer que fosse, até que ele mesmo se converteu em um tirano. Estes pensamentos o fizeram sentir-se triste.

time-travelSem saber de onde, apareceu um ancião real montado em um enorme dragão verde e dourado. Olnwynn só tinha visto estes dragões em pinturas e estava um pouco perplexo, mas Inanna transferiu a sua mente a informação necessária e ele se abriu aos visitantes.

Inanna falou: “Olnwynn, este é meu tio avô Enki. É um dos criadores da espécie humana e este é Puffy, seu dragão preferido”.

Enki sorriu; sempre se alegrava de ver Inanna e conhecia muito bem Melinar. Ele também estava projetando porções de si mesmo na espécie humana em diferentes tempos. Tinha dedicado toda sua energia a resgatar a espécie que ele tinha criado; a resgatar das garras de seu próprio filho, Marduk. Para Enki havia muito em jogo.

Enki falou com o multidimensional de Inanna: “Olnwynn, vim especialmente te visitar. Admirei-te muito de longe. Eu também fui muito aficionado à bebida e às mulheres da Terra. Essa combinação pode ser muito prazeirosa. Se eu tivesse sido tão de aparência agradável como você, haveria….” Simultaneamente Inanna e Melinar lançaram um olhar de reprovação a Enki.

“Mas também admirei sua coragem infinita”, adicionou Enki. “Coragem é o que necessitamos agora. Necessitará de muito valor para que os meninos da Terra creiam na verdade e eles têm que aprender estas coisas muito em breve. aproxima-se uma grande mudança em seu planeta e desejamos instruí-los quanto a isto para que não tenham medo. De ti, Olnwynn, eles poderiam receber esta coragem para saber, para saber a verdade”.

Olnwynn pensou para si que seria um prazer lutar contra este Marduk e suas legiões. Fascinavam-lhe as boas batalhas e se deu conta de que quanto mais tempo estava separado de seu lar, mais o amava e mais queria às pessoas que viviam lá. Desejava abraçar a seu filho, e inclusive sentia saudades de sua bela esposa. Desejou não havê-la tratado tão mal; possivelmente algum dia poderia recompensá-la. Sim, que bom seria lutar contra este Marduk, e libertar as pessoas de todos os tiranos.

O Livro perdido de Enki

“Comprometo-me a ajudar a derrotar a este tirano. Darei-lhes coragem a todos os que o pedirem. Podem contar comigo”. Inanna sorriu para o formoso guerreiro celta. Depois de tudo, era provável que não se perdeu toda a energia que ela tinha posto neste homem apaixonado. Melinar lhe recordou que nunca se perde nada. “Bem Olnwynn, isso está muito bem”, disse Inanna com ternura. “Mas é melhor que te acostume a viajar no tempo!”

(Continua…)


“Conhece-te a ti mesmo e conheceras todo o universo e os deuses, porque se o que tu procuras não encontrares primeiro dentro de ti mesmo, tu não encontrarás em lugar nenhum”.  –  Frase escrita no pórtico do Templo do Oráculo de Delphos, na antiga Grécia.


A MATRIX, O SISTEMA de CONTROLE MENTAL“A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar. Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle Mental. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”


Muito mais informações, leitura adicional:

Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e mencione as fontes.

phi-golden-ratiowww.thoth3126.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.327 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth