Pentágono usaria Laboratórios da Ucrânia para Ataque Biológico ao povo da Rússia (queda do senil marionete Biden acelera)

Mais evidências surgiram para sugerir que não apenas os biolaboratórios construídos e administrados pelo Pentágono na Ucrânia são reais, mas que o Pentágono estava planejando usá-los para atacar a Rússia. Moscou diz que tem registros e outras provas que mostram que os biolaboratórios financiados pelos EUA, que estão ligados à EcoHealth Alliance, à família criminosa Biden e outros, seriam usados ??para enviar drones cheios de armas biológicas [vírus] em ataques para infectar a população da Rússia com vírus mortais.

Pentágono usaria Laboratórios da Ucrânia para Ataque Biológico ao povo da Rússia (queda de Biden acelera)

Fontes: Natural NewsGreatGameIndia.comRússia Today

O Ministério da Defesa da Rússia afirma ter descoberto os nomes de funcionários específicos dos EUA que estiveram envolvidos no desenvolvimento de laboratórios de armas biológicas no país do Leste Europeu, embora nenhuma prova tangível, de acordo com o Great Game India , ainda tenha sido apresentada.

Documentos que atestam os planos do regime de Kiev de usar veículos aéreos não tripulados capazes de transportar e pulverizar substâncias mortais” são de especial importância para as autoridades russas, anunciou o porta-voz militar major-general Igor Konashenkov durante uma recente conferência.

Konashenkov continuou afirmando que as informações agora mantidas pelos militares russos “provam que o regime de Kiev estava considerando seriamente a possibilidade de usar armas biológicas contra a população do Donbas e da Federação Russa”.

Hunter Biden está diretamente envolvido no desenvolvimento de armas biológicas nos biolabs da Ucrânia, diz a Rússia

Konashenkov também afirma que a Rússia descobriu os nomes de “funcionários específicos que participaram da criação de componentes de armas biológicas”, embora ainda não tenha citado nenhum deles.

Tudo o que ele diria é que eles são os chefes de divisões e funcionários do Departamento de Defesa [DoD] do governo dos EUA, bem como seus principais subcontratados”. Essas campanhas de armas biológicas, disse Konashenkov, estão “diretamente relacionadas ao filho do atual presidente dos EUA, o pedófilo e drogado Hunter Biden”.

Essa alegação corrobora com as revelações que surgiram na semana passada sobre como a família criminosa Biden tem conexões com a Metabiota, empreiteira contratada do Pentágono, especializada em investigar possíveis patógenos causadores de pandemias que poderiam ser usados ??como armas biológicas.

Em outra conferência, o tenente-general Igor Kirillov, comandante das Forças de Proteção Nuclear, Biológica e Química da Rússia, também chamou Biden por sua suposta participação no financiamento desses laboratórios biológicos ucranianos com dólares de impostos americanos.

“Em um futuro próximo, em um briefing especial”, prometeu Konashenkov, mais detalhes sobre a investigação e os biolaboratórios americanos dentro da Ucrânia serão divulgados. A mídia de propaganda pre$$titute$ e os psicopatas e loucos dos governos do hospício ocidental ainda afirmam que tudo isso é apenas uma teoria da conspiração infundada e [como sempre] “desinformação russa”, mas está cada vez mais provando ser verdade.

Sabemos pelas recentes admissões em depoimento da diplomata americana Victoria Nuland, que testemunhou perante o Senado no início deste mês [março], que os biolaboratórios ucranianos existem, de fato, foi admitido por ela e não são apenas uma teoria da conspiração.

Ela disse ao senador Marco Rubio (R-Fla.), no entanto, quando ele a levou a dizer isso, que se algo der errado nos laboratórios, é automaticamente culpa da Rússia. Nuland também afirmou que esses “laboratórios de pesquisa biológica [em torno de 26] na Ucrânia” existem como parte de uma colaboração com Kiev “para garantir que os materiais de pesquisa biológica não caiam nas mãos das forças russas” [?!].

“Esta não é uma guerra contra o povo ucraniano, de conquista de território, mas sim o desmantelamento de Putin (de maneira hostil) da ‘Fábrica de Brinquedos do Deep State’, também conhecida como Nação da Ucrânia”, sugeriu alguém do Great Game India sobre a situação.

“Isso explica toda a raiva e o ódio visceral dos psicopatas do Departamento de Estado, da CIA e dos lacaios corruptos do Estado Profundo, a mídia de propaganda pre$$titute$ e os políticos, que são contra a Rússia de Putin e querem vê-la destruída.”

Outro escreveu que conversou pessoalmente com o Dr. Alan Zabrosky, que costumava ser o diretor de educação do Pentagon War College, que lhe disse que quase todos os generais e almirantes que ainda estavam de serviço foram escolhidos a dedo por Dick Cheney e Donald Rumsfeld desde 1969.

“Cheney tinha apenas 27 anos e Don Rumsfeld tinha 32”, acrescentou essa pessoa. “Esses dois é que indicaram os atuais generais no comando”.

Mais coberturas de notícias relacionadas sobre o conflito na Ucrânia podem ser encontradas em Chaos.news .

Rússia apresenta novas evidências sobre laboratórios biológicos da Ucrânia, comenta links para Biden e EUA

Documentos detalham o destino de patógenos mortais financiados pelos EUA que podem ter sido testados em ucranianos

Os militares russos apresentaram documentos  mostrando o planejamento da Ucrânia em usar drones para entregar patógenos armados [weaponized] desenvolvidos em laboratórios biológicos financiados pelos EUA. Os nomes dos funcionários dos EUA envolvidos nos projetos de biolabs e o papel que o filho do atual presidente dos EUA, Hunter Biden, desempenhou no programa dos biolabs ucranianos também foram divulgados durante o briefing especial na quinta-feira.

Uma das principais evidências foi uma carta da empresa ucraniana Motor Sich ao fabricante turco de drones Baykar Makina – fabricantes dos UAVs Bayraktar TB2 e Akinci – datada de 15 de dezembro de 2021. Os ucranianos perguntaram especificamente se os drones poderiam transportar 20 litros de carga útil aerossolizada para um alcance de 300 quilômetros – colocando-os ao alcance de infectar a população de uma dúzia de GRANDES CIDADES RUSSAS e quase toda a população da Bielorrússia

“Estamos falando do desenvolvimento pelo regime de Kiev de meios técnicos de ataque biológico pela entrega e uso de armas biológicas com a possibilidade de seu uso contra a população da Federação Russa”, disse o tenente-general Igor Kirillov, comandante das Forças de Proteção Nuclear, Biológica e Química da Rússia.

© Ministério da Defesa da Rússia

Kirillov também fez referência a uma patente dos EUA (nº 8.967.029) para um mecanismo para implantar patógenos aerossolizados desde um drone. A resposta dos EUA a um inquérito russo de 2018 sobre esta patente não negou sua existência, mas alegou que tecnicamente não violou as obrigações de Washington sob os tratados que proíbem armas químicas e biológicas, ressaltou.

O tenente-general Kirillov mostrou contratos assinados entre agências governamentais dos EUA – Agência de Redução de Ameaças de Defesa (DTRA), o Pentágono, o Departamento de Estado – e o Ministério da Saúde ucraniano, bem como as instalações específicas dentro da Ucrânia. O Pentágono gastou mais de US$ 30 milhões em pesquisas biológicas em apenas uma instalação biológica ucraniana, o Centro de Saúde Pública do Ministério da Saúde, segundo os militares russos.

O funcionário do DTRA, Robert Pope, era “uma das figuras-chave” do programa e “o autor da ideia de criar um depósito central de microrganismos especialmente perigosos em Kiev”, disse Kirillov. Os projetos biológicos do Pentágono na Ucrânia foram coordenados por Joanna Wintrol, chefe do escritório do DTRA em Kiev, até sua saída em agosto de 2020. Ela supervisionou diretamente os projetos UP-4, UP-6 e UP-8 para estudar patógenos mortais, incluindo antraz , a febre Congo-Crimeia e a leptospirose, de acordo com Kirillov.

O ponto de contato da agência dos EUA era a ministra da Saúde da Ucrânia (2016-2019) Ulyana Suprun, ela mesma uma cidadã dos EUA, observou Kirillov, enquanto um importante intermediário foi o empreiteiro privado Black and Veatch, cujo escritório em Kiev era chefiado por Lance Lippencott. Outro empreiteiro contratado do Pentágono, a empresa Metabiota, também teve um papel no projeto.

O General Kirillov disse que Hunter Biden – filho do atual presidente dos EUA Joe Biden – desempenhou “um papel importante na criação de uma oportunidade financeira para trabalhar com patógenos no território da Ucrânia”,  apontando vários e-mails entre ele e executivos da Metabiota e Black and Veatch. Em particular, ele descreveu o vice-presidente da Metabiota como “um confidente de Hunter Biden”, com base em sua correspondência. Segundo o general, a “mídia ocidental” confirmou a autenticidade desses e-mails – presumivelmente uma referência a matérias publicadas na semana passada pelo jornal britânico Daily Mail.

© Ministério da Defesa da Rússia

Até Kiev estava preocupada com os biolaboratórios, de acordo com um memorando que Kirillov mostrou. Uma carta de 2017 do departamento de Kherson do Serviço de Segurança Ucraniano (SBU) disse que a DTRA e a Black and Veach pretendem “estabelecer controle sobre o funcionamento de laboratórios microbiológicos na Ucrânia realizando pesquisas sobre patógenos de infecções particularmente perigosas que podem ser usadas para criar ou modernizar novos tipos de armas biológicas”.

Apontando para um documento de junho de 2019 do Centro de Saúde Pública do Ministério da Saúde da Ucrânia, o general russo Kirillov se perguntou por que insistia em sigilo e exigia que incidentes “graves” “incluindo a morte dos sujeitos” tivessem que ser relatados às autoridades de bioética dos EUA dentro de 24 horas – quando outros documentos sobre esse programa específico referem-se apenas ao trabalho padrão de amostragem de sangue.

“Não excluímos que o programa oficial de pesquisa seja apenas a ‘parte visível do iceberg’, enquanto na prática os voluntários foram infectados com o vírus da febre Congo-Crimeia, hantavírus e o agente causador da leptospirose”, disse o general russo, acusando os EUA de “uma atitude de desprezo em relação aos cidadãos da Ucrânia”, e tratando-os como cobaias para experimentação biológica e médica [para posterior uso contra a população russa].

Os EUA alegam, como sempre, há muito tempo que as alegações sobre biolaboratórios financiados pelo Pentágono na Ucrânia eram “desinformação russa”. No início deste mês, no entanto, a diplomata americana Victoria Nuland testemunhou perante o Senado que “laboratórios de pesquisa biológica na Ucrânia” existiam e que Washington estava trabalhando com Kiev “para garantir que os materiais de pesquisa biológica não caíssem nas mãos das forças russas”.

De acordo com Kirillov, todos os biomateriais patogênicos armazenados na Ucrânia foram “transportados por aeronaves de transporte militar para os Estados Unidos via Odessa”, no início de fevereiro de 2022. Em 24 de fevereiro, quando as tropas russas entraram na Ucrânia, o ministério da saúde em Kiev ordenou as cepas restantes serem destruídas, disse o general.

Kirillov disse que a intervenção russa interrompeu as atividades em cinco biolaboratórios ucranianos que trabalhavam com os vírus de antraz, tularemia, brucelose, cólera, leptospirose e peste suína africana.


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

0 resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nosso conteúdo

Junte-se a 4.328 outros assinantes

compartilhe

Últimas Publicações

Indicações Thoth