Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Preparação para o ‘Juízo Final-Armagedom’ de repente está na Moda

Nos dias anteriores à tirania da pandemia Covid-19, os preparadores [Preppers] do Juízo Final eram ridicularizados e evitados como parte da minoria marginal. Agora, eles estão sendo celebrados com sua própria publicação no The Wall Street Journal intitulada: “Quem conta como preparador de desastres hoje em dia? Muitos de nós”.

Preparação para o ‘Juízo Final-Armagedom’ de repente está na Moda

Fonte: The Wall Street Journal

No artigo, o WSJournal [porta voz dos banqueiros de Wall Street] destaca que há um “interesse renovado na autossuficiência” em estocar itens de primeira necessidade para enfrentar emergências. O artigo pergunta se isso tem a ver com a atual escassez na cadeia de abastecimento e as prateleiras vazias dos supermercados. 

Não podemos deixar de perguntar se as pessoas desejam carregar itens antecipadamente antes de aumentos anuais adicionais de 10% nos preços. Ou se poderia ter alguma coisa a ver com o fato de parecermos estar à beira da Terceira Guerra Mundial? Eles não mencionam com tantas palavras e nós… bem, estamos divagando.

Um interesse renovado na autossuficiência está levando os moradores das cidades e dos subúrbios a abastecerem as suas casas e carros para emergências, dizem os proprietários de empresas de preparação para catástrofes. A culpa é da escassez na cadeia de abastecimento e do choque das prateleiras vazias dos supermercados durante a pandemia, ou dos desastres naturais mais recentes e dos eventos globais tensos, ou ambos e com a previsão de próximos eventos futuros. 

Esses proprietários de empresas e fornecedores de treinamento de sobrevivência dizem que estão vendo um novo tipo de cliente que busca garantir que conseguirão passar alguns dias ou semanas sem acesso a energia, alimentos, remédios, água potável no caso de inundação, incêndio ou outra calamidade. Esses clientes não se enquadram no estereótipo dos [Preppers, outrora ridicularizados] chamados preparadores do Juízo Final-Armagedom que abastecem seus bunkers com artigos como munições e máscaras de gás para sobreviver a um Armagedom.

Aqueles que acabaram de fazer as suas malas, estocar itens essenciais e planejar rotas de fuga de emergência dos grandes centros urbanos dizem que costumavam considerar tais preparativos excessivamente amedrontadores. Agora, eles dizem que não fazer isso é ingênuo

Rick Leesmann quer ser claro: ele não é um cara de bunker. “Eu sou um cara do PlayStation 5, que ama meu conforto”, diz o trabalhador de tecnologia da informação de saúde de 39 anos. Se você lhe dissesse há alguns anos que ele teria quatro “sacos de emergência” pré-embalados pendurados em sua despensa em Kansas City, Missouri, ele não teria acreditado. Eles estão cheios de lanches, lanternas, água e livros de colorir para seus dois filhos pequenos.

Depois da pandemia de Covid-19, das guerras na Ucrânia e agora em Israel, juntamente com os incêndios florestais no Canadá e em Lahaina, no Havaí , Leesmann diz que evita entrar em pânico com a segurança da sua família, concentrando-se naquilo que pode controlar.

“É tomar medidas racionais para garantir que tenhamos a capacidade de agir rapidamente nesses momentos”, diz ele. Ele só pensa nas sacolas quando verifica as baterias e as datas de validade dos alimentos duas vezes por ano – ou quando pega seus meninos brincando usando as lanternas como sabres de luz Jedi. 

O que o artigo observa no WSJ é que o aumento das vendas de kits de emergência prontos para uso e inquéritos recentes sugerem que os americanos estão agora mais inclinados a manter provisões de emergência do que estavam no passado.

WSJ  escreve que aproximadamente 33% dos 2.179 adultos norte-americanos entrevistados pela empresa de serviços financeiros Finder em abril relataram gastar uma média de US$ 149 no último ano em itens essenciais como alimentos não perecíveis, suprimentos médicos e água engarrafada. Isto representa um aumento em relação aos cerca de 20% que indicaram fazê-lo em 2020.

“[Algum]as pessoas estão se tornando cada vez mais conscientes dos problemas do mundo e de como as coisas são falíveis”, acrescentou John Ramey, fundador do site de treinamento de autossuficiência The Prepared. “É um mercado totalmente novo”, acrescentou Marlon Smith, que ministra um curso de Sobrevivência Urbana e ao Ar Livre por US$ 300.

Na cidade de Nova York, Alexjandria Edwards disse que mantém uma barraca, um saco de dormir e um sistema de filtragem de água em seu apartamento. Ela admite que às vezes “parece bobagem”, mas acabou comprando pacotes de desastres na Amazon por cerca de US$ 100 cada. 

“Na verdade, é para uma família de quatro pessoas, mas eu pensei, ‘Quer saber? É melhor estar seguro’”, concluiu ela. Ela também tem assistido vídeos online sobre “cura homeopática e aprender a cultivar sua própria horta no peitoril da janela” porque se preocupa com a disponibilidade de alimentos.

A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica [NOAA] relata que 122 desastres naturais separados  nos EUA entre 2016 e 2022 mataram pelo menos 5.000 pessoas, causando mais de $ 1 bilhão de dólares em danos coletivos. 

Curtidas, comentários e compartilhamentos em postagens relacionadas à preparação para desastres aumentaram 47% nos 12 meses encerrados em setembro de 2023 em relação ao ano anterior, de acordo com uma análise do X (anteriormente conhecido como Twitter), YouTube e outros sites de mídia social pela empresa de análise Broto Social. Os vídeos marcados com #Prepper no TikTok têm 1,6 bilhão de visualizações.

Boa sorte com isso. Você pode ler o  relatório completo do Journal  aqui.


“E ouvireis de GUERRAS e de rumores de GUERRAS; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.  Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá FOMES, PESTES e TERREMOTOS, em vários lugares. Mas todas estas coisas são [APENAS] o princípio de dores.  –  Apocalipse 13:16


0 resposta

  1. Seu estoque de alimentos tem um prazo de duração. E quando acabar, onde encontrar alimentos para si e para esposa e filhos se tiver? Quando acabar a energia elétrica vai faltar água. O que fazer quando acabar a água? Quanto tempo essa crise vai durar quando chegar? Ninguém sabe. Eu chego a conclusão que morreremos mais cedo ou mais tarde.

    1. Aqui no Brasil temos vastas extensões de terra, muitos rios e solos férteis num grande vazio que fica no Centro-oeste. É possível [e inteligente] sair dos grandes centros urbanos antes da transição planetária acontecer. Conheço algumas iniciativas nesta região que já SÃO COMPLETAMENTE AUTÔNOMAS em relação as limitações do sistema. É possível e existe alternativas ao atual caos, basta TER ATITUDE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *