Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

QUEM (oculto) quer a Guerra com a Rússia?

Bem, o gênio [da guerra] está bem e verdadeiramente fora da garrafa e não há maneira fácil de incentivá-lo a retornar. Graças a um fluxo implacável de propaganda, o público do hospício americano e ocidental está cada vez mais convencido de que os EUA “parecem fracos” e devem enfrentar a Rússia de Vladimir PutinRichard Haass, do Conselho de Relações Exteriores, agora está pedindo “mudança de regime” na Rússia, enquanto o senador Robert Wicker e o congressista Adam Kinzinger, bem como vários ex-chefes de Estado-Maior Conjunto, exigem que os EUA estabeleçam uma “zona de exclusão aérea” sobre a Ucrânia, o que exigiria a destruição pelos EUA das capacidades de defesa aérea da Rússia e o abate de aviões russos, entre outras medidas impensáveis, pois isso seria iniciar um conflito NUCLEAR. 

QUEM (oculto) quer a Guerra com a Rússia?

Fonte: www.unz.com

Se isso ocorresse, a guerra poderia rapidamente se tornar nuclear. Outros “especialistas” da mídia e do governo estão especulando que o presidente russo, Vladimir Putin, é insano, com muitas outras desinformações vindas de inimigos da Rússia, como Bill Browder e o ex-embaixador Michael McFaul . Mas o comentarista da FOX, Sean Hannity, possivelmente vence a corrida do ódio, pedindo o assassinato de Putin porque ele “perdeu seu direito de viver”, uma visão também compartilhada pelo senador Lindsey Graham, que pediu pelo “assassinato” puro e simples de Vladimir Putin.

O ex-vice-presidente do Partido Republicano, Mike Pence, pediu que qualquer um que apoie a Rússia seja expulso do partido, o que sem dúvida produzirá um expurgo de membros que estão relutantes em ir à guerra em nome de um país estrangeiro e nenhum aliado da Ucrânia. Enquanto isso, um senador completamente perturbado, Mitt Romney , descreveu qualquer um que defenda a Rússia como “quase traidor”, sugerindo que Romney se beneficiaria de procurar a definição de “traição” na Constituição dos EUA. E o televangelista completamente maluco Pat Robertson está alertando que a Rússia atacou a Ucrânia, mas o verdadeiro alvo é Israel, o que resultará em uma grande guerra e ao Armageddon levando ao “Fim dos Tempos” bíblicos, quando o mundo terminará e todos os verdadeiros crentes serão arrebatados para o céu.

Mas outras pessoas mais estáveis ??e menos controlados mentalmente estão apresentando dois argumentos básicos para justificar o crescente engajamento de Washington na luta. A primeira é a vaga afirmação de que Ucrânia versus Rússia é a manutenção da “liberdade e democracia” na Europa. Geralmente é assim que o presidente Joe Biden e outros políticos descrevem a situação, já que não requer mais explicações ou discussões. O outro argumento é mais uma elaboração disso, alegando que havia algum tipo de consenso pós-Segunda Guerra Mundial de que a guerra agressiva para adquirir a terra de outra pessoa deveria ser condenada por todas as nações e medidas deveriam ser tomadas para conter e reprimir qualquer atividade desse tipo. Isso levou à criação das Nações Unidas.

O problema é que nenhuma das justificativas para envolver os EUA em um conflito onde o pais não está realmente ameaçado requer algo mais substancial, dado o perigo de escalada dos combates ao ponto em que as duas principais potências nucleares do mundo se encontrariam frente a frente. E há a pequena questão da história a ser considerada, que nos diz que nem tudo que está acontecendo pode ser reduzido a termos tão simplistas para justificar a ação. O status quo na Europa Oriental é consequência do desmembramento da União Soviética em 1991-2 e, além disso, da configuração do Império Russo dos Czares que antecedeu o comunismo. A própria Ucrânia teve suas fronteiras ajustadas várias vezes.

Atualmente, o governo ucraniano do presidente judeu khazar Volodymyr Zelenskyy está buscando ampliar o conflito com a Rússia, tentando ingressar na União Europeia, ao mesmo tempo em que pede armas e intervenção militar direta da OTAN. Ele convocou voluntários para se juntarem à luta como uma “legião estrangeira” e também contatou primeiro-ministro israelense Naftali Bennett e sugeriu que Bennett persuadisse Putin a participar das negociações de paz em Jerusalém. 

Um judeu, presidente da Ucrânia, com a suástica …

Também tem havido um apelo menos conciliador ao judaísmo mundial para se juntar ao ataque dirigido contra a economia de Moscou. Em um vídeo que circula entre as organizações internacionais judaicas Zelenskyy disse: “Você não vê o que está acontecendo? É por isso que é muito importante que milhões de judeus em todo o mundo não fiquem em silêncio agora. O nazismo nasce em silêncio.”

Há também mais do que uma medida de hipocrisia no governo do senil marionete Joe Biden que assume a liderança em punir a Rússia por agressão. Os Estados Unidos entraram em guerra com um Vietnã não ameaçador e destruíram governos e se envolveram em ocupações militares completamente ilegais no Afeganistão, Iraque, Somália, Líbia, Kwait e SÍRIA [aqui em defesa dos interesses expansionistas de Israel, completamente desmantelados PELO APOIO MILITAR DA RÚSSIA À SIRIA, algo imperdoável para os judeus khazares e os políticos de Israel para a Rússia e Putin]

Os EUA assassinou altos funcionários do Irã. Não foi punido por nenhuma dessas ações. Seu aliado Israel bombardeia a Síria quase diariamente, se envolve em assassinatos, mata crianças palestinas e anexa terras árabes que obteve à força nas Colinas de Golã e na Cisjordânia, desapropriando os habitantes originais. Quando isso acontece, o Congresso dos EUA e a Casa Branca fazem vista grossa.

Além disso, a Ucrânia não é “uma democracia” [como alegado pelo hospício ocidental]. O atual governo do país assumiu o poder após o golpe de 2014, planejado pelo Departamento de Estado do presidente Barack Obama, com um custo estimado de US$ 5 bilhões. A mudança de regime foi impulsionada pelo Departamento de Estado da russofóbica Victoria Nuland com uma pequena ajuda do globalista internacional [e judeu khazar] George Soros. 

Ele removeu o presidente democraticamente eleito Viktor Yanukovych, que infelizmente para ele era um amigo da Rússia. A Ucrânia é supostamente o país mais pobre e corrupto da Europa, como testemunha a saga de Hunter Biden, o filho do Joe, em vários escândalos que foram abafados pela mídia pre$$titute$. Zelenskyy, que também é um judeu khazar e afirma ter vítimas do holocausto em sua árvore genealógica é um ex-comediante que venceu as eleições em 2019.

Ele substituiu outro presidente judeu khazar na Ucrânia, Petro Poroshenko, depois de ser fortemente financiado e promovido por outro colega judeu khazar e o oligarca mais rico da Ucrânia, Ihor Kolomoyskyi, que também é [judeu khazar] cidadão israelense e vive em Israel. Como artista, um dos atos musicais de Zelenskyy consistia em tocar piano com seu pênis , sugerindo que o humor ucraniano tem algumas características únicas.

Após a eleição do novo modelo de governo ucraniano pós-golpe em 2014, os partidos da oposição foram declarados ilegais [democraticamente] e alguns líderes foram presos por “traição”, a mídia foi censurada e o parlamento proibiu o russo, a língua de um terço da população, como uma língua oficial. Em seguida, o governo declarou guerra às províncias orientais predominantemente russas e, nos últimos oito anos, matou 14.000 pessoas com o Batalhão Azov nazista à frente das operações.

Neste mapa uma “diferente” visão do ORIENTE MÉDIO: O GRANDE ISRAEL: Em 04 de setembro de 2001 uma manifestação foi realizada em Jerusalém, para apoiar à ideia da implantação do Estado de Israel desde o RIO NILO (Egito) até o RIO EUFRATES (Iraque). Foi organizado pelo movimento Bhead Artzeinu (“Para a Pátria”), presidido pelo rabino e historiador Avraham Shmulevic de Hebron. De acordo com Shmulevic: “Nós não teremos paz enquanto todo o território da Terra de Israel não voltar sob o controle judaico …. Uma paz estável só virá depois, quando ISRAEL tomar a si todas as suas terras históricas, e, assim, controlar tanto desde o CANAL de SUEZ (EGITO) até o ESTREITO de ORMUZ (o IRÃ) … Devemos lembrar que os campos de petróleo iraquianos também estão localizadas na terra dos judeus”. UMA DECLARAÇÃO do ministro Yuval Steinitz, do Likud, que detém o extenso título de ministro da Inteligência, Relações Internacionais e Assuntos Estratégicos de Israel hoje: “Estamos testemunhando o extermínio do antigo Oriente Médio. A ordem das coisas esta sendo completamente abalada. O antigo Oriente Médio está morto, e o novo Oriente Médio não está aqui ainda. Esta instabilidade extrema poderia durar mais um ano, ou até mais alguns anos, e nós não sabemos como a nova ordem do Oriente Médio vai se parecer à medida que emergir a partir do caos e derramamento de sangue e fumaça atual. É por isso que devemos continuar a agir com premeditação”. No mapa acima podemos ver as pretensões de judeus radicais (tão ou mais radicais quanto os fanáticos islâmicos).

Continuo me perguntando, por que os formuladores de políticas de Washington e a mídia, que deveriam saber melhor, se importam tanto com a Ucrânia? Não tem valor estratégico para os UA e as exigências russas à OTAN eram razoáveis ??e negociáveis. Assim, as alegações de que a defesa da Ucrânia pretende manter a Europa democrática e livre é apenas uma fachada para justificar a guerra econômica contra a Rússia. E, de qualquer forma, a hipocrisia americana é claramente visível em relação à possível intenção do Kremlin de anexar algumas regiões ucranianas fortemente russas. Não é de forma alguma pior do que o que Israel tem feito em Jerusalém, na Cisjordânia, na Síria e nas Colinas de Golã, todos endossados ??por sucessivas administrações dos EUA. Então, o que é tudo isso realmente?

Depois de considerar os paralelos com Israel, então me ocorreu que talvez houvesse o ângulo usual, significando que era tudo sobre “proteger” os judeus, o argumento que tem sucesso em Washington onde tudo mais falha e faz com que os, Clintons, Bidens, Blinkens, Pelosis e Schumers se levantem e façam continência à vontade dos khazares. 

Até mesmo um confuso Donald Trump viu a luz e agora está chamando a intervenção russa de “holocausto” e está brincando sobre a falsa bandeira dos caças F-22 dos EUA como chineses e “bombardeando a Rússia”. A mídia judaica também está elogiando Zelenskyy, referindo-se a ele  como um genuíno “herói judeu”, um Macabeu moderno resistindo à opressão, um Davi contra Golias. Camisetas T-shirts com sua imagem estão sendo vendidas com os dizeres “Resistindo aos tiranos desde o faraó”, enquanto a comunidade judaica de Nova York está arrecadando milhões de dólares para a ajuda ucraniana.

Agência Telegráfica Judaica relata que uma “pesquisa demográfica de 2020 estimou que, além de uma população ‘núcleo’ de 43.000 judeus, cerca de 200.000 ucranianos são tecnicamente elegíveis para a cidadania israelense, o que significa que eles têm ascendência judaica identificável. O Congresso Judaico Europeu diz que esse número pode chegar a 400.000.” Se isso for verdade, é uma das maiores comunidades judaicas do mundo e inclui pelo menos 8.000 israelenses , muitos dos quais estão tentando retornar a Israel. Outros judeus ucranianos também estão fugindo do país.

Bandeira nazista de Hakenkreuz acenada por uma equipe de combatentes do Batalhão Azov da Ucrânia (Fonte da imagem: Twitter). O que parecia ser improvável aconteceu: Nazistas e judeus khazares, desesperadamente UNIDOS, numa tentativa final de levar o HOSPÍCIO ocidental à aniquilação numa III Guerra Mundial . . .

Israel, com laços estreitos com ambas as nações através da diáspora judaica, vem tentando jogar em ambos os lados, oferecendo apoio à Ucrânia sem condenar a Rússia. Seu primeiro-ministro Naftali Bennett está desempenhando cada vez mais o papel de mediador entre os dois adversários, tendo se encontrado com Putin e falado várias vezes com Zelenskyy. 

Os judeus, alguns dos quais têm cidadania israelense, estão, de fato, desproporcionalmente representados entre os chamados oligarcas em ambos os países, controlando setores-chave das respectivas economias. Vários oligarcas judeus russos já fugiram em seus super iates para portos que oferecem não extradição na tentativa de preservar seus bens das sanções dos EUA e da Europa contra a economia de Moscou.

Portanto, parece haver uma história judaico/israelense [mantido oculta pela mídia pre$$titute$ controlada pelos khazares] que é parte integrante [crucial] do que está acontecendo na Ucrânia. Há muito tempo é reconhecido por muitos que uma antipatia particular dirigida contra a Rússia permeia a visão de mundo neoconservadora e dos judeus khazares. 

A maioria dos falcões da guerra neocons nos EUA são judeus khazares e vários deles estão administrando o Departamento de Estado, ao mesmo tempo em que ocupam cargos de alto nível em outros lugares do governo do marionete senil Joe Biden, bem como nos think tanks de política externa [como a Rand Corp.], incluindo Haass no influente Conselho de Relações Exteriores [CFR, dos EUA]. 

Sobre os Judeus Khazares e a SUA ORIGEM NA UCRÂNIA, saiba mais acessando os links:

Da mesma forma, os sites de mídia e redes sociais intensamente russófobos dos EUA e do Ocidente são desproporcionalmente judeus [khazares] em sua propriedade e pessoal. Como as negociações EUA-Rússia que antecederam os combates atuais foram claramente projetadas para fracassar pelos controladores do governo do senil marionete Joe Biden, é preciso se perguntar se essa guerra é em grande parte produto de um ódio étnico-religioso de longa data, [especialmente contra a Rússia]. 

Estou especulando, é claro, mas há até mesmo algumas evidências históricas para apoiar essa visão na invasão do Iraque, especialmente da SÍRIA, [onde os militares russos IMPEDIRAM a expansão territorial almejada por Israel] e na hostilidade contra o Irã, que foram e continuam a ser impulsionadas por interesses israelenses, não pelos interesses dos Estados Unidos. A Rússia é o inimigo um nesse artifício semelhante? Tudo tem que ser considerado…


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1


Mais informação adicional:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *