Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Turbina de Boeing 737 Max (‘Caixão Voador’) Explode em pleno Voo sobre o Texas

De novo, a “Acordada” Boeing em apuros: Imagens dramáticas compartilhadas na plataforma de mídia social X mostram o momento em que um Boeing 737 da United Airlines, em voo de Houston para Fort Myers teve que declarar emergência poucos minutos após o início do voo, depois que as chamas explodiram em um de seus motores em pleno voo.  De acordo com o site de rastreamento de voos FlightAware, o voo 1118, com 167 passageiros a bordo, decolou do Aeroporto Intercontinental George Bush às 18h40, horário local. Poucos minutos após a decolagem, o avião voltou ao aeroporto por causa de um problema de explosão em uma turbina. 

Turbina de Boeing 737 Max (‘Caixão Voador’) Explode em pleno Voo sobre o Texas

Fonte: Zero Hedge

“Lembro que havia apenas uma luz brilhante e piscante que entrou pela janela, e parecia que uma bomba explodiu, e então foi apenas um estroboscópio de fogo saindo pela janela”, David Gruninger, que estava voltando para Flórida em um voo de conexão, disse a mídia local  ABC 13 .

“O avião estava despencando e o piloto estava trazendo o avião de volta”, disse o passageiro Elliot Trexler, acrescentando: “O avião também estava balançando muito para frente e para trás”. “E então tudo se transformou em caos. As pessoas gritavam e choravam e tentavam descobrir o que estava acontecendo”, disse Gruninger.

A transmissão de rádio dos pilotos descreveu que “nosso motor esquerdo, nosso motor número um”, teve um problema ao subir cerca de 10.000 pés. 

O voo da United Airlines teve que fazer um pouso de emergência no Texas minutos após a decolagem, quando chamas começaram a sair de um de seus motores. Este é o segundo incêndio em um motor em pleno ar que afeta a Boeing nos EUA este ano, depois que um motor 747 pegou fogo sobre Miami em janeiro.

A viagem de avião do inferno durou cerca de 33 minutos após a decolagem. Os pilotos pousaram com segurança por volta das 7h31, horário local – a United creditou aos passageiros US$ 200 e um vale-refeição de US$ 15. 

Isso se soma à crise de incompetência que assola os jatos da Boeing após um tampão da porta que foi arrancado de uma aeronave avião Boeing 737 Max 9 do voo 1282 da Alaska Airlines no início deste ano. A  auditoria do incidente feita pela Administração Federal de Aviação  revelou que a Boeing e a Spirit AeroSystems “não cumpriram os requisitos de controle de qualidade de fabricação”, por mais “acordados” e “DEI” que eles fossem. 

“A crise de incompetência da Boeing continua à medida que a diversificação da indústria de aviação avança a todo vapor”,  disse  um usuário do X.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *