Entre ou
Cadastre-se

Compartilhe
Receba nosso conteúdo

Rússia Continua Bombardeio com Mísseis na Infraestrutura Civil na Ucrânia

Novos ataques deixaram várias regiões da Ucrânia sem eletricidade e água potável. Bombardeio ocorre um dia após centro de Kiev ser alvo de drones russos kamikazes. A Rússia lançou nesta terça-feira (18/10) uma série de ataques aéreos contra a infraestrutura civil em várias cidades da Ucrânia. Os bombardeios deixaram várias regiões sem eletricidade e água potável, no que parece ser uma tentativa de Moscou de deixar a população ucraniana sem luz e aquecimento durante o próximo inverno. 

Rússia Continua Bombardeio com Mísseis na Infraestrutura Civil na Ucrânia. Novos ataques deixaram várias regiões da Ucrânia sem eletricidade e água potável.

Fonte: DeutscheWelle

Em Kiev, os bombardeios atingiram instalações elétricas ao norte, onde há uma usina termelétrica. Segundo o prefeito de Kiev, Vitali Klitschko, os alvos dos mais recentes dos ataques na cidade foram a infraestrutura crítica. Além da capital, foram registrados bombardeios nas regiões de Kharkiv, Dnipropetrovsk e Mykolaiv. Alertas soaram em todo o país.

“A Ucrânia está sob ataque dos invasores. Eles continuam fazendo o que fazem melhor: aterrorizando e matando civis”, afirmou o presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, em mensagem no Telegram.

Militares russos admitiram que os bombardeios visavam a infraestrutura de energia ucraniana. Em Kharkiv, os ataques atingiram uma região industrial e paralisaram os serviços de trem. Em Jitomir e Dnipro, os alvos foram instalações elétricas.

De acordo com o vice-chefe do gabinete presidencial ucraniano, Kyrylo Tymoshenko, os dois ataques contra infraestruturas elétricas na cidade de Dnipro “causaram grandes danos”. Várias regiões da cidade ficaram sem eletricidade. O mesmo ocorreu em Jitomir, onde o abastecimento de água também teve que ser interrompido.

Zelenski afirmou nesta terça-feira que a Rússia já destruiu 30% das estações de geração de energia da Ucrânia desde o dia 10 de outubro. Segundo o presidente, esses ataques causaram extensos apagões em todo o país.

Intensificação dos ataques

A Rússia intensificou os ataques contra a infraestrutura civil ucraniana nos últimos dias em retaliação ao ataque a ponte da Crimeia. Na segunda-feira, o centro de Kiev foi bombardeado com drones suicidas, deixando ao menos oito mortos.

Na semana passada, especialmente nos dias 10 e 11 de outubro, a Rússia atacou massivamente Kiev e várias regiões ucranianas, na maior onda de bombardeios em meses, em que a Rússia usou vários tipos diferentes de mísseis e drones kamikazes.

Ao menos 19 pessoas morreram e outras 100 foram feridas. Moscou classificou a onda de ataques como uma reação à destruição parcial de uma ponte estrategicamente importante que liga o território russo à Península da Crimeia. [cn (Reuters, dpa, AFP, Lusa)]


O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é fim-dominio-eua-otan-nabucodonosor-fim-roma.jpg

{Nota de Thoth: Em breve haverá um novo papa, será um francês, e será o ÚLTIMO  . . .  A estrondosa queda da “Estátua de Nabucodonosor“, com o fim do Hospício e os psicopatas da civilização ocidental e a própria destruição da região da cidade de Roma [incluso a cloaca do Vaticano] estão bem próximos de acontecer. O Hospício Ocidental, o circo do G-7 [do qual dois marionetes já caíram, Mario Draghi e Boris Johnson], os ditos “Países de Primeiro Mundo” vão fazer face ao seu carma “liberal“}


“Precisamos URGENTEMENTE do seu apoio para continuar nosso trabalho baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado [Deep State] Profundo, et caterva, que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Considere apoiar o nosso trabalho. Disponibilizamos o mecanismo Pay Pal, nossa conta na Caixa Econômica Federal   AGENCIA: 1803 – CONTA: 000780744759-2, Operação 1288, pelo PIX-CPF 211.365.990-53 (Caixa)” para remessas do exterior via IBAN código: BR23 0036 0305 0180 3780 7447 592P 1

Artigos Relacionados:

Permitida a reprodução, desde que mantido no formato original e mencione as fontes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *